Enfarte.com

Informações sobre o enfarte, conhecido popularmente como ataque cardíaco.

Get it on Google Play

Alterações do Estilo de Vida

Há alterações no estilo de vida que podem prevenir enfarte:

Cessação tabágica

O risco de recorrência de um novo evento diminui em mais de 50% ao fim de um ano se o doente deixar de fumar, e persiste um efeito favorável na mortalidade durante mais de uma década.2

Perda de peso e alterações na dieta

Em 1998 foi estimado que 28.000 doentes em Inglaterra tinham um ataque cardíaco directamente relacionado com a obesidade.3 Perder peso tem um efeito cardioprotector — a perda de 10 Kg a partir de um peso inical de 100 Kg conduz a uma redução de 10 mmHg na pressão sistólica e diastólica, uma redução de 10% no colesterol total, uma redução de 15% no colesterol LDL e um aumento de 8% no HDL colesterol. A perda de peso poderá assim ajudar a atingir os objectivos em relação aos níveis de pressão arterial e de colesterol. A dieta aconselhada é pobre em gordura, hipossalina, rica em frutas e vegetais. O peixe gordo (e o óleo de peixe) pode também reduzir a mortalidade nos homens após um enfarte do miocárdio. A ingestão de álcool até 3 unidades por dia protege relativamente à doença coronária, mas acima deste nível existe um potencial aumento da morbilidade e mortalidade prematura. Deverá limitar a ingestão de álcool a 21 unidades por semana se for do sexo masculino e a 14 unidades por semana se for do sexo feminino.

Exercício

Embora o exercício não reduza a taxa de re-enfarte, pode diminuir a mortalidade cardiovascular. O exercício aeróbicó regular deve portanto ser encorajado dentro dos limites das queixas dos doentes. O exercício físico deve ser incluído nos programas de reabilitação cardiovascular. Tradicionalmente estes programas são realizados em meio hospitalar, mas existe evidência que os programas de exercícios no domicílio têm valor no pós-enfarte.


Baixe nosso aplicativo no Google Play:

Get it on Google Play