Enfarte.com

Informações sobre o enfarte, conhecido popularmente como ataque cardíaco.

Get it on Google Play

Descrição da doença coronária

Já sabemos que o coração é um músculo cuja função é impulsionar o sangue a todos os pontos do organismo através de uns canais denominados artérias. Graças a estas, o oxigénio penetrando no sangue através dos pulmões distribui-se por todo o corpo conforme as necessidades de cada órgão. O coração não é uma excepção a esta regra, e para o seu correcto funcionamento precisa de oxigénio.

As artérias encarregadas de conduzir sangue e, portanto, oxigénio ao miocárdio chamam-se artérias coronárias. As duas principais são a artéria coronária direita e a artéria coronária esquerda. Esta última, por sua vez, compreende duas artérias secundárias muito importantes: a artéria descendente anterior e a artéria circunflexa (figura 5). Cada uma destas artérias leva sangue a um território determinado do coração. Quando as artérias coronárias estão de saúde, não existem obstáculos à passagem de sangue no seu interior. Quando estas se obstruem por motivos que explicaremos (veja-se pág. 33), existirão zonas no coração às que não chegará sangue-oxigénio; esta disfunção é conhecida como doença coronária (figura 6), podendo manifestar-se de duas formas: angina de peito ou enfarte de miocárdio.

Descrição da doença coronária

Figura 5. As artérias coronárias.

A obstrução parcial e temporal do fluxo de sangue-oxigénio nestas zonas manifesta-se em forma da chamada angina de peito, enquanto que a obstrução total e prolongada do fluxo se manifesta em forma de enfarte do miocárdio.

• A angina de peito, numa grande percentagem de casos, precede o aparecimento do enfarte de miocárdio. Por isso os métodos empregados para diagnosticar e curar esta doença vão em último termo dirigidos à prevenção do enfarte.

Descrição da doença coronária

Figura 6. A doença coronária: a obstrução da artéria impede a passagem do sangue.

A angina de peito caracteriza-se pelo aparecimento de dor torácica, quer dizer, dor da parte esquerda do peito de intensidade variável, podendo estender-se ao pescoço, mandíbula e braços principalmente. Provocam-no situações aumentando o trabalho do coração, como por exemplo o exercício fisico. Com o aumento do trabalho cardíaco, aumentam também as necessidades de oxigénio do miocárdio. Em caso de doença coronária, o sangue-oxigénio não chega em quantidade suficiente ao miocárdio e então aparece a dor.

• O enfarte do miocárdio define-se como a morte de um determinado território do coração em consequência da interrupção aguda e prolongada do fluxo de sangue-oxigénio ao mesmo. O seu sintoma principal é o aparecimento de dor de características similares às de angina de peito, mas de maior duração.

Resumindo, no caso de angina de peito, o miocárdio sofre devido à falta de envio de sangue-oxigénio, mas sem chegar a morrer. A este sofrimento chama-se isquemia e à dor pela mesma desencadeada angina de peito. A isquemia é a lesão miocárdica, enquanto que a angina de peito é a sua consequência.

No caso de enfarte, a isquemia é tão importante que o território afectado pela mesma sofre necrose ou morte das células.


Baixe nosso aplicativo no Google Play:

Get it on Google Play